sábado, 1 de janeiro de 2011

Família buscapé vai à Europa

Ok, eu nunca mais falo mal dos portugueses. A partir de hoje nada de piadinhas com os nossos colonizadores. Lembram daquele filminho-sessão-da-tarde "Férias frustradas"? Então, estamos escrevendo um novo roteiro. Começa em Lisboa. Destinos escolhidos, passagens, hotéis e carro alugado, eu, meu pai,  Cris e a Raquel - a nossa companheira do GPS. Talvez, seja dela toda a culpa...

- Mantenha- se a esquerda para a saída da 8 e vire a direita.
- Hein? Direita?
- É a direita...
- Passou!
E lá vinha a Raquel:
- Recalculando... siga o trajeto em destaque. Recalculando...

E muitos "recalculandos" depois...

- Pedágio!
- Cuidado que aquele é sem-parar!
- Tem sem-parar em Portugal|?
- É com moedas! Alguem tem moedas?

No próximo pedágio...

- Cuidado! Aquele é sem parar!
- Alguém tem moeda?
- Ué mais não tem onde colocar as moedas... Não tem nada!
- Então vai. Vai que tem um cara atras!
E fomos! Mas o sinal tá vermelho! Dá ré. Volta!

Mas não tem nada! Então vai. Vai! E fomos... Até o próximo pedágio...

- Agora vamos escolher um que tenha cabine!
- Ticket, por favor.
- Não tenho.
- Mas você tem que ter, todos têm que pegar o ticket na entrada da auto-estrada.
- Mas eu não tenho.
- Como você entrou?
Ops... começamos a entender algumas coisas... E aprendemos uma nova palavra: fatura = multa.

E no primeiro dia de 2011... Pega o roteiro: vamos para a próxima cidade. Faz o checkout no hotel, põe as bagagens no carro.

- A gente tinha que ficar 3 noites aqui.
- Mas no papel da Mariana são duas.
- Como são duas?
- Esta aqui: Óbidos duas noites.
- Cadê o voucher com as reservas?

Tira as malas do carro e volta para o hotel: reserva errada...

- Então vamos conhecer aquela cidadezinha aqui perto.

E a Raquel começa de novo... Recalculando, recalculando. E de recalculando em recalculando passamos por quatro cidades, que estavam todas fechadas: era primeiro do ano.  Mas os lugares eram lindos. Como a Raquel conhecia a região! Calma! ali na frente está alagado! Recalculando. Vaio ficar de noite. Vamos voltar.

- A gasolina está acabando...
- Ali tem um posto.
- Pára.
- Não tem frentista, pergunta para aquela mulher.

- "Ah! eu não sei colocar gasolina?" - então, o que está fazendo em frente à bomba? Aquele menino deve saber. Tanque cheio. Vamos. E a 500 m depois... O carro pára. Pára completamente, não liga, não dá sinal de vida. Nada. Liga para o socorro da estrada e 15 min depois...

- O que aconteceu?
- A gente abasteceu e o carro parou. Assim, do nada.
- Não é combustível errado? Do que é a viatura? - sim, todo carro em Portugal se chama viatura.
- Gasolina.
- E vocês não colocaram gasoleo?
- Hein?

Anotado: gasoleo não é gasolina...
Agora, já estamos no hotel. Está tudo bem.


Mas calma, ainda vamos para a Espanha.

Um comentário:

pereira.lu disse...

Depois dessa viagem vc vai ter material pronto pro livro, filme e até uma minisérie!!!

bjs